Browse by:
A verdade por trás do "eu não tive leite"

A realidade por trás do “eu não tive leite”

“Eu não tive leite” está para a amamentação assim como “eu não tive dilatação” está para o parto. A frequência com que escutamos estas sentenças, longe de ser uma constatação de algum problema genético próprio do nosso tempo, revela o quão longe estamos como mulheres do auto-conhecimento e da consciência do poder que possuímos.

Amamentar é uma questão de fé

Amamentar é uma questão de fé

Porque nem sempre o leite que produzimos será visível. E o volume extraído que tratamos de medir, correspondente à nossa capacidade real de produção. É preciso crer, mesmo sem ver, no mecanismo da amamentação, na sua fisiologia perfeita que nos acompanha desde o surgimento da humanidade e que nos trouxe até aqui. Nossa autoconfiança e tranquilidade permitirão que os hormônios envolvidos na amamentação atuem de forma eficaz, sem empecilhos.

Foto: Elisa Elsie - Duas Estúdio

O que significa capacidade de armazenamento do seio?

A capacidade de armazenamento dos seios é literalmente o que o nome diz: a quantidade de leite que seus seios são fisicamente capazes de suportar. Os seios de algumas mulheres podem armazenar muito leite e outros apenas um volume menor. O interessante é que você não pode dizer só de olhar – seios grandes não necessariamente armazenam mais leite do que os pequenos. Sua capacidade de armazenamento é determinada por quantas glândulas e ductos existem no seio e quão grandes estes são; e seios maiores tipicamente contêm mais tecido adiposo em vez de mais tecido glandular.