Estresse seca o leite?

Estresse seca o leite?
Foto: Júlia Costa

O bebê nasceu. 

E seu corpo que gestou, ao mesmo tempo se preparou para nutrir. O seu corpo, que formou o bebê, sabe exatamente produzir leite para o bebê que ele gerou. 

Então uma mistura de hormônios em conjunto se unem e produzem o leite materno. 

Quem começa esse rolé é o sistema nervoso central. A produção de leite responde a estímulos – um leite que está esperando pra sair – e então a fábrica de leite começa a trabalhar. Com a sucção do bebê – ou bomba – chegam estímulos nervosos no cérebro. Daí o hipotálamo manda o comando pra hipófise. A hipófise anterior com a amiga prolactina fazem a composição do leite. A hipófise posterior com a ocitocina ejetam esse leite. Bem fisiológico. Você não precisa sentir nada disso pra produzir leite. Tem mulheres que sentem “o leite descendo” e tá tudo bem também. 

E daí: junto com esse processo fisiológico: tem uma mulher que acabou de parir. Que tava cheia de hormônios felizes e de repente, pá: os hormônios felizes foram todos com o bebê. E daí ao invés de feliz essa mulher conhece uma tristeza louca, que a gente chama de baby blues. E chega o puerpério. E te dizem: “Você não pode ficar triste porque o leite seca”. E isso não é verdade. 

Amamentação e Estresse Materno
Por Verônica Linder @amulherqueengoliuomundo

O que acontece é hormonal. E são vários processos ao mesmo tempo. No gráfico acima podemos notar: o estresse atua no sistema nervoso central, mas ele não é determinante para secar uma produção de leite isoladamente. Ele pode inibir a produção de leite, mas se a mãe continua amamentando, a produção não para. A noradrenalina junto com outros hormônios atuam na ejeção do leite. E por isso a sensação de pouco leite vem no meio da tristeza e raiva, e aturar palpites desnecessários baseado na própria experiência ruim. 

Mas as mães têm uma grande aliada nesse processo: a OCITOCINA. E sabe quando as pessoas atribuem alimentos à produção de leite? Cada mulher reage de um jeito: se a mãe come o que gosta libera mais ocitocina e consequentemente libera mais leite. Pode ser cuscuz, chocolate. Suco de uva. Batata-frita. Canjica. Depende da mulher. Depende do que ela gosta. Pode ser grão de bico. Pode ser água. (⚠️Importante dizer que não precisa beber 10 litros de água pra produzir leite – beba água do tamanho da sua sede, água demais = xixi demais – água não vai pro peito, vai pra barriga).

A ocitocina é o hormônio do prazer. E comida gostosa tem esse efeito no nosso corpo. Comida gostosa é sentimento. Produção é estímulo. Se o bebê mama, envia estímulo pro cérebro. A mãe comendo ou fazendo coisas que gosta: libera ocitocina. 

Entenderam o rolé ? Pode passar raiva, mas come um chocolate. Uma canjica da sua avó (se você gostar), ajude a sua ocitocina a fazer o trabalho dela! Ela precisa ser apoiada. Apoie a ocitocina. 

➡️ Para uma boa amamentação (além de encontrar profissionais atualizados que te apoiem):

  1. Acreditar na fisiologia do corpo é um ótimo começo: a psique também participa – mas não determina.
  2. Comer comida gostosa que você goste! Pede pra avó fazer, pede no ifood, compra comida congelada, amarra o bebê no sling e vai naquele restaurante. Não existe restrição alimentar pra uma mãe lactante – se o bebê não for alérgico.
  3. Não inserir apetrechos (chupeta, mamadeira, bicos de silicone – bicos rígidos, canudo) e qualquer item que precise sugar precisa ser observado – podem causar mordidas e desmame precoce. Nem sempre é imediato.

Estresse não seca leite. Passar raiva não seca leite. Soprar o peito não seca leite. O bebê arrotar no peito muito menos.

O que seca leite é o bebê não mamar. 💔

(E já vi mulher que depois que desmama, ainda produzir muito leite – já que o contato com o bebê continua + psique + hormônio.)

Quer amamentar? Informação + profissional atualizado + livre demanda + comida que você goste. 

Se joga.


Por Verônica Linder, mãe das gêmeas Alice e Beatriz, consultora de amamentação, lactivista e pós-graduanda em aleitamento materno.

Você pode acompanhar mais de perto seu trabalho na página do Facebook A Mulher que Engoliu o Mundo e no perfil do Instagram @amulherqueengoliuomundo. Pode adquirir as melhores almofadas de amamentação feitas e customizadas por ela aqui!

Fonte: https://www.researchgate.net/publication/12094640_Effects_of_Stress_on_Lactation

Texto originalmente publicado na sua conta do Instagram e gentilmente cedido pela autora para divulgação neste espaço.

Deixe uma resposta