Quando os médicos não têm razão

Quando os médicos não têm razão
Foto: Elisa Elsie

A recomendação médica de complementação com leite artificial deveria ser para a amamentação como a de cesárea para a via de nascimento. Ou seja, a última opção, escolhida com o intuito de preservar a vida em casos de risco real e iminente. Mas os altos índices de cesárea e a baixa média de aleitamento materno exclusivo no país, bem distantes dos números recomendados pela Organização Mundial de Saúde, nos mostram que na prática não é bem assim.

Fuja de profissionais que na primeira consulta já querem agendar a cirurgia. Desconfie de profissionais que dizem “Se tudo correr bem a gente pode tentar o parto normal”. É cilada!

Questione profissionais que exigem números rígidos ao invés de avaliar a saúde do bebê de maneira global. Não aceite receita de fórmula dada sem avaliação da pega e eficácia da sucção do bebê, e em casos de perda de peso, sem que se investiguem infecções, alergias, refluxo, etc. É cilada na certa!

Médicos não são deuses. Médicos são humanos. Médicos erram. Médicos ficam defasados. Médicos exercem a medicina sem se basearem na ciência. Médicos reproduzem suas opiniões preconceituosas e sem conhecimento de causa como recomendações compulsórias pelo peso do jaleco branco. Não caia nessa!

Felizmente nem todos os profissionais são assim. Muitos procuram se especializar e se atualizar, buscam praticar as evidências científicas atuais. Muitos deixam o egocentrismo de lado e trabalham com equipes multidisciplinares e sabem recomendar o especialista indicado para o caso em pauta. E no que diz respeito à amamentação, os profissionais dos bancos de leite e os consultores certificados são uma ótima opção.

Quem recebendo um diagnóstico terminal não procuraria uma segunda opinião antes de desistir da vida? Então porque aceitamos com tanta resignação quando um profissional decreta que somos incapazes de parir e amamentar apenas olhando pra nossa cara? Ou fazendo uma leitura equivocada dos fatos?

A informação não será a garantia de que não hajam problemas para superar com respeito ao parto e a amamentação. Mas nos dará a base para questionar quem tente se interpor no nosso caminho sem fundamento algum, sejam profissionais ou não.


Texto de Gabrielle Gimenez @gabicbs

Texto publicado originalmente nos meus perfis de Facebook e Instagram em 06 de julho de 2018.

Deixe uma resposta