Por que é tão difícil continuar amamentando? [Perspectiva Cultural]

Por que é tão difícil continuar amamentando? [Perspectivas Culturais]
Foto: Gabrielle Gimenez

A recomendação da Organização Mundial de Saúde, endossada pelo Ministério da Saúde e pela Sociedade Brasileira de Pediatria, é que o aleitamento materno deve durar no mínimo 2 (dois) anos. Na prática, a realidade da nossa cultura é bem diferente. Nascem os dentes, o bebê começa a introdução alimentar e as pessoas (incluídos aí muitos profissionais da saúde, infelizmente) já não vêem necessidade dele continuar mamando.

Depois de 1 ano então! “Nem pensar!” “Já anda, já come de tudo, não tem pra quê continuar no peito”. “É feio bebê grande mamando”. “Só mama por dengo e vai ficar mal acostumado”. “O leite a essa altura já virou água”. E os comentários e opiniões descabidos (normalmente não solicitados) não têm fim. A ignorância quanto ao real significado da amamentação e seus inúmeros benefícios para além dos 6 primeiros meses ainda impera na nossa sociedade.

Neste contexto, a mãe que decide continuar amamentando pode se sentir só, hostilizada, incompreendida. A amentação leva a culpa pelo bebê que não dorme como se espera dele, que não come tudo que está no prato, que fica choroso, que é apegado à mãe. Pela lógica cultural, amamentar um bebê maior de um ano é algo desnecessário, pura teimosia da mãe. Falta ajuda, falta apoio, sobram críticas.

Amamentar para além do primeiro ano de vida se torna extremamente desafiador. Se chegamos a abrir a boca para falar sobre cansaço, alguém aparecerá recomendando desmame como se fosse a solução mágica para todos os problemas maternos. E acreditem: não é! Quando a poeira baixa e a gente recupera a razão, quando relemos as evidências sobre o assunto e estudamos um pouco mais sobre desenvolvimento infantil, vemos que na verdade é uma grande aliada. E a gente se apega a isso, e segue em frente, um dia de cada vez. Pelo bem deles e nosso também.

Por Gabrielle Gimenez @gabicbs

[Na foto, os gêmeos estavam com 1 ano e 7 meses. Eles hoje estão 4 anos e 7 meses e acabaram de encerrar um processo de desmame natural. Só pra lembrar que: Não existe recomendação de tempo máximo para a duração da amamentação, ficando a critério exclusivamente da mãe e da criança.]

Continua no próximo post: Por que é tão difícil continuar amamentando? [Saltos de Desenvolvimento]

Texto publicado originalmente na minha conta do Instagram em 09 de outubro de 2018 e revisado nesta edição.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.