O puerpério não dura 40 dias

O puerpério não dura 40 dias Foto: Elisa Elsie - Duas Estúdio
Foto: Elisa Elsie – Duas Estúdio

Puerpério. Quantas de nós subimos ao palco da vida para encenar a maternidade sem jamais haver escutado esta palavra. Ou talvez, sim, mas a versão limitada do seu conceito, resumido a 40 dias, que coincidem com o término de um sangramento e órgãos que voltam ao seu lugar e tamanho originais. Nos sentimos culpadas quando ouvimos de médicos, familiares e da sociedade em geral que o resguardo chegou ao fim e já podemos retomar a vida normal, sendo que a sensação é de que o normal já nunca será como antes.

As cortinas se fecham, a platéia se vai, as luzes se apagam e ficamos completamente sós, nos sentindo estranhas, num corpo que não reconhecemos, com um bebê que chora nos braços. Aquele coraçãozinho que escutávamos com ternura bater lá dentro a cada ultrassonografia, agora bate aqui fora demandando total atenção. Nossa rotina e existência de repente se resumem a cuidar de um ser indefeso e completamente dependente. Deixamos de ser protagonistas para nos tornarmos meras coadjuvantes.

Precisamos de tempo para nos identificarmos com nosso novo papel. Para internalizar as mudanças e chegar a ver a beleza do novo em meio ao caos. Para fluir em ocitocina, descobrir o amor, construir o vínculo. Precisamos ensaiar. Cada dia um novo capítulo. Com erros e acertos, sem ter todas as falas de memória, sem ao menos ter lido o roteiro até o final.

Puerpério é revolução, é (re)encontro, é reinventar-se. Por mais assustadora que nos pareça essa fase e por mais que ela seja o prenúncio de que a vida jamais será igual, que ela seja diferente não significa que seja uma pior versão do que foi. E, acredite, não ter todas as respostas e não saber como tudo termina te dá a liberdade de escrever a sua própria história. Não tenha medo de mergulhar em águas profundas, de enfrentar-se ao desconhecido, de ousar viver a vida e a maternidade como ela realmente é, uma obra prima, única e inigualável.

Texto de Gabrielle Gimenez @gabicbs

Texto originalmente publicado na minha conta do Instagram em 26 de julho de 2019.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.