Introdução alimentar : o que você precisa saber

Foto: Fabíola Frezza Andriola

Dicas da nutricionista Fabíola Frezza Andriola para uma introdução alimentar sem neuras.

Vai chegando perto de oferecer o primeiro pedaço de alimento para o nosso filho e o coração começa a bater mais forte! É natural ficarmos “ansiosos” com esse momento. Afinal de contas, estava tudo tão “organizado”.

Amamentar pode ter uma série de desafios no início, mas quando ‘engrena”… Nossa, fica tão simples. Pensando ainda na questão da livre demanda, não nos preocupamos com horários, com quantidade e nem mesmo de oferecer, pois estamos atentas aos sinais do bebê e a coisa flui.

Aí, quando começamos a elaborar que a partir de um momento será necessário começar uma nova etapa, de apresentar o “mundo dos alimentos” para aquele bebê, é normal que a gente não saiba por onde começar!

Vou tentar ajudar vocês.

A introdução alimentar substitui a amamentação?

Primeiro de tudo, vamos relembrar o nome dessa fase “Alimentação Complementar”. Ou seja, se nós refletirmos sobre esse título, lembramos que os alimentos vão complementar o leite que o bebê recebia exclusivamente até agora, eles não vão substituir o leite! Parece simples, mas é muito importante a gente ter isso sempre em mente: O LEITE É O PRINCIPAL ALIMENTO ATÉ 1 ANO DE IDADE. Nossa, isso já faz sair um peso das nossas costas, quando pensamos que o objetivo desse momento deve ser o “trocar”, trocar uma mamada por um alimento. E está longe disso!

Nosso grande papel como cuidador desse bebê é oferecer e oportunizar contato e experiências com os alimentos. Nós podemos saber o que devemos oferecer a um bebê, em que formato, em que consistência, em que horário ele pode estar mais disponível para explorar, mas a responsabilidade de APRENDER A COMER é do bebê. Ele decide o quanto, o como e se vai comer!

Quais são os sinais de que o meu bebê está pronto para começar?

Ainda gosto de reforçar a orientação de esperar até os 6 meses de idade do bebê para iniciar essa nova fase, lembrando que para bebês prematuros, devemos sempre utilizar a idade corrigida deles, ou seja, se o bebê nasceu com 36 semanas, devemos somente iniciar a oferta de alimentos quando o bebê completar 7 meses.

Além de esperar pelos 6 meses, devemos estar muito atentos aos sinais que esse bebê começa a demonstrar quando vai “ficando pronto” para comer. Sentar sozinho e sem apoio é um deles. Aquele bebê que com 6 meses, que quando colocado sentado ainda tomba para o lado, talvez não está totalmente “pronto” para comer. Então se você começar a oferta, vá com mais calma ainda! Observe também o interesse do seu bebê diante da comida da família, se leva objetos à boca e “imita” movimentos de mastigação, se o reflexo de protrusão de língua já diminuiu. Fique atento.

Introdução alimentar pelo método BLW.
Foto: Fabíola Frezza Andriola

Quando meu filho vai começar a comer bem?

COMER É UM APRENDIZADO, que leva dias, meses e anos. Um processo que vai se desenvolvendo de acordo com as habilidades que o bebê tem. Cada bebê no seu tempo, do seu jeito. Observar esse desenvolvimento nos dá ferramentas para proporcionar experiências com os alimentos para um aprendizado que seja prazeroso para todos envolvidos.

A meta aqui não pode ser engolir e nem “raspar o prato”. A meta deve ser aprendizado! Precisamos nesse momento de muita CONFIANÇA, primeiro, confiar no nosso Leite, que sim, é suficiente para manter um bebê em desenvolvimento e crescimento; confiar no bebê, que ele é capaz de comer responsivamente desde a primeira vez. Não precisamos e não devemos “enganar” um bebê na hora de comer. Disfarçar ou distrair para ver aquele bebê somente engolir um alimento. Confiar e observar!

Independente da abordagem escolhida, seja BLW ou Responsiva, seja paciente. Escute seu bebê. Observe suas habilidades. Acompanhe de perto seu desenvolvimento! Traga ele para junto de você quando for se alimentar. Compartilhe as refeições, faça desse momento uma oportunidade de conexão.

Introdução Alimentar deve ser linda e prazerosa!

[Para se aprofundar no tema assista a nossa live ou escute o nosso podcast sobre Amamentação e Introdução Alimentar.]


Texto de Fabíola Frezza Andriola, mãe do Benjamin e do Benício, nutricionista (BLW e IA Responsiva) e consultora de amamentação.

Você pode acompanhar o seu trabalho na página do Facebook Nutri Fabiola – Sabores do Ben, no perfil do Instagram @nutrifabiola e no site Sabores do Ben.

Deixe uma resposta