Maternando para a posteridade

Maternando para a posteridade
Foto: Gerardo Gimenez

“As crianças são mensagens vivas que enviamos a um tempo que não veremos”.

Li esta frase no pórtico de entrada da escola do Nando e não pude deixar de pensar na importância do nosso papel como mães.

Somos o lugar seguro onde nossos filhos são gerados e gestados. É no nosso corpo, mesmo já fora do útero, que eles encontram calor, proteção e alimento. No cuidado afetuoso e na forma responsiva como atendemos as suas necessidades é que seu desenvolvimento se dá de maneira plena e o apego seguro é estabelecido.

Na interação do dia a dia, no brincar, no estar juntos, no abraçar, no tocar, no carregar, no falar e no escutar é que eles existem e vão sendo corretamente estimulados, que descobrem o mundo e aprendem, se divertem, se potencializam, são felizes.

A maternidade é uma missão cujos resultados transcendem a nossa própria existência. Que tipo de mensagem estou escrevendo para a posteridade? Que tipo de legado vou deixar impresso na mente e no coração dos meus filhos?

É uma grande responsabilidade, mas também um enorme privilégio. Não se trata de tempo gasto, mas de tempo investido. Quero ter isso bem claro, mesmo nos dias difíceis, quando bate forte o cansaço. Eles são o melhor de mim, meu bem mais precioso. Eles merecem cada segundo da minha atenção livre de distrações e todo o meu amor em forma de presença.


Texto de Gabrielle Gimenez @gabicbs

Texto publicado originalmente na minha conta do Instagram em 01 de outubro de 2019.

Deixe uma resposta