Por que é tão difícil continuar amamentando? [Comportamento infantil]

Por que é tão difícil continuar amamentando? [Comportamento Infantil]
Foto: Gabrielle Gimenez

E quando o bebê já passou por todos os picos e saltos da tabela e continua com um comportamento “difícil”, como explicá-lo?

Por que é tão difícil continuar amamentando? [Saltos de desenvolvimento]

Por que é tão difícil continuar amamentando? [Saltos de Desenvolvimento]
Foto: Gabrielle Gimenez

Os saltos de desenvolvimento no segundo ano de vida são um grande desafio para a manutenção da amamentação no tempo. Como falei no post anterior, a sociedade no geral não vê necessidade de um bebê que “já come” seguir no peito. E não raro escutamos da boca de profissionais comentários do tipo: “seu leite já não sustenta” ou “seu bebê não precisa mais mamar durante a noite”.

Por que é tão difícil continuar amamentando? [Perspectiva Cultural]

Por que é tão difícil continuar amamentando? [Perspectivas Culturais]
Foto: Gabrielle Gimenez

A recomendação da Organização Mundial de Saúde, endossada pelo Ministério da Saúde e pela Sociedade Brasileira de Pediatria, é que o aleitamento materno deve durar no mínimo 2 (dois) anos. Na prática, a realidade da nossa cultura é bem diferente. Nascem os dentes, o bebê começa a introdução alimentar e as pessoas (incluídos aí muitos profissionais da saúde, infelizmente) já não vêem necessidade dele continuar mamando.

Arroto do bebê: Perguntas frequentes

Arroto do bebê: Principais perguntas
Foto: Gabrielle Gimenez

Recebo sempre muitas dúvidas sobre esse tema.

– O bebê precisa arrotar todas as vezes que mama?


– Quanto tempo preciso esperar o bebê arrotar depois de mamar?


– Se ele dormir mamando, preciso acordá-lo para arrotar?


– Bebês que mamam na mamadeira arrotam mais?

Vamos lá! Muita calma nessa hora!

Estar apegado e ser dependente são coisas diferentes

Estar apegado e ser dependente são coisas diferentes
Foto: Gabrielle Gimenez

Quero fazer com que você pense na questão de “dependência” sob o prisma do APEGO. O termo dependência resulta de uma ideia pejorativa e vem sendo usada de forma errada para expressar o comportamento de APEGO.

A “dependência” é relativa. Diminui gradativamente conforme a criança cresce. O comportamento de APEGO tem efeito contrário. Começa pequeno e aumenta ao longo da vida.

Felicidade materna e demanda infantil são incompatíveis?

Felicidade materna e demanda infantil são incompatíveis?
Foto: Gabrielle Gimenez

É impressionante como a nossa cultura insiste em colocar a felicidade materna e a demanda do bebê em lados opostos. E é lamentável que acreditemos neste discurso ao ponto de achar que jamais seremos felizes se tivermos que atender uma criança como ela precisa, respeitando e acolhendo as necessidades de cada fase.